domingo, 30 de novembro de 2008

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Cheiro de pipoca no ar


"Pipoca aaaaaah
Cheiro de pipoca tá rolando no ar
Pipoca uobaaaaa
Comendo o dia inteiro esparramando no sofá"
-
Essa é pra quem curtia Xuxa!haha...

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

A mão que afaga é a mesma que apedreja?


" O beijo, amigo, é a véspera do escarro.
A mão que afaga é a mesma que apedreja.
Se a alguém causa ainda pena a tua chaga
Apedreja essa mão vil que te afaga.
Escarra nessa boca de que beija! "
.
(VERSOS ÍNTIMOS - Augusto dos Anjos)

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

segunda-feira, 20 de outubro de 2008


Agradecimentos e pedidos escritos nas paredes de uma igreja católica!

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Passion


- Vamos celebrar?

- Não, ainda não. Por favor guarde essa garrafa!

domingo, 14 de setembro de 2008

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Muito longe de alcançar o céu


Sempre haverão limites...
...mesmo quando o céu estiver azul!

terça-feira, 15 de julho de 2008

Pétalas ao chão


“Pela manhã podemos ver as flores desabrochando e no final da tarde as pétalas ao chão”, diz Finger.
.
.
.
Essa foi a melhor frase que encontrei para definir a idéia da foto!

domingo, 29 de junho de 2008

Vão livre do Masp

Sempre achei esse espaço um tanto quanto intrigante. É legal a idéia de se ter um lugar pra sentar e admirar o corre-corre da avenida. A cidade precisa de mais espaços assim!
Mas, ao mesmo tempo, esses lugares se tornam ponto de pessoas ociosas, ou seja, moradores de rua, grupos de adolescentes (adultos) 'perdidos' e assim por diante.

A imagem que sempre tive do vão livre do Masp era um pouco negativa (ainda é, de certa forma). Durante muito tempo, eu passava pelo Masp e me perguntava quando teria coragem de ir até o fundo (lá onde as pessoas costumam ficar sentadas batendo um papo).

A verdade é: tinha medo! Criei o sinal de perigo ou alerta diante daquela região, pois não considerava os frequentadores muito amigáveis. Ou eram drogados, ou eram traficantes, ou eram ladrões, ou eram mendigos, ou eram hippies, ou eram punks, ou eram loucos, ou eram problemáticos, eram desocupados, ou eram vagabundos, e assim sucessivamente.

Bom, um dia a gente perde a amarra. Fomos a Bia e eu, 2 estudantes desocupadas jogar conversa fora e tirar algumas fotografias.
Neste dia o vão estava relativamente vazio, talvez fosse o horário... Não sei dizer.
O que vimos, ou melhor, quais tipos de pessoas vimos zanzando por lá, foi:

Um morador de rua (?) dormindo com um celular na mão (?)


Um casal (meio louco) de turistas vestidos de verde posando para fotos (pareciam magos ou artistas fantasiados !?)


Uma garota sozinha concentrada na leitura (olhe um pontinho no fundo da foto)

Um grupo de trabalhadores (alguns uniformizados) descansando na hora do almoço, um grupo suspeito (de traficantes ou consumidores de drogas). E por fim, alguns policiais que abordaram o último grupo.

    OBSERVE AS FOTOS!!!
Qual é a imagem que tenho agora (depois de ter conhecido de perto)? Não sei, continuo com receio de ir lá sozinha, mas considero um lugar muito agradável para o 'STOP' da rotina (melhor que qualquer shopping, apesar de menos seguro).

sábado, 28 de junho de 2008

Quase Pintura


Me lembrou as obras de Van Gogh, com suas plantações de trigo.

Na minha foto: um milharal, uma árvore, um trabalhador e o céu.

DICA: Veja o filme 'SONHOS' de Akira Kurosawa.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Nostalgia


A Av. Paulista me faz sentir falta de momentos vividos e não vividos, com pessoas queridas ou desconhecidas, tanto no passado quanto no presente!

sábado, 31 de maio de 2008

Ausência!

Desculpem nos... voltaremos a postar... em breve!!!





Não sei o que está acontecendo...



Mas tudo anda bem incerto por aqui...



As luzes e as cores andam distorcidas...



O chão já não é mais o mesmo...



A vida segue outros modelos...


domingo, 13 de abril de 2008

Minha vez...



HUMM, pra começar... esse dia sem querer foi o mesmo dia da minha foto aí de baixo (do post da Bia)! Isso comprova que talvez esse dia foi, apesar do frio, um dia quente! Feliz! Muitas emoções e situações boas vividas entre amigas! Sinto falta de MAIS momentos assim, afinal nunca estamos satisfeitos com aquilo que temos! E pior, muitas vezes não damos o devido valor pra tudo e todos que estão ao nosso redor!

Eis a minha chance de demonstrar meu afeto por essa pessoa tão querida que é a BEATRIZ!

Uma MENINA-MULHER que não perde seu jeitinho doce e paciente, apesar das confusões da vida e das responsabilidade que tanto nos é cobrada!

Dúvidas, medos e fugas (ou melhor, adiamentos!) são normais nesta fase da vida, quando deixamos de ser crianças pra virar adulto DE VERDADE, e não mais de mentirinha! Porém, eu sei que você superará os obstáculos que parecem impedir seu caminho... Apesar da maldida EXPECTATIVA corrosiva, acredito que o que é seu, é seu, e de mais ninguém!! Tá só esperando a hora certa pra dar certo!!! Tenha FÉ!

Amiga (e companheira de diversas atividades - blogs!) sua amizade pra mim tem uma importância de impossível descrição. Provavelmente, ou não, nosso signo nos faça parecidas em determinados pontos, reforçando nosso laço de entendimento mútuo. Estava lendo, em algum lugar, sobre "estar na mesma frequência" (como as ondas de rádio! De RÁDIO você entende...né futura radialista?!hehe...), acho que deve ser isso. Já percebeu como, ás vezes, sem querer acabamos adivinhando pensamentos e falas. Pois é, SINTONIA!

Você pode ter certeza, fará parte da minha vida sempre!!!!! Assim como faz na de todos aqueles que já passaram por sua vida!! PRESENÇA INESQUECÍVEL!

Ps. Olha a luzinha na cabeça, não é genial?! kkk... EureKa! kkk...

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Então eu vou começar...


Começo postando essa imagem que a primeira vista parece ser comum, sem grandes efeitos de iluminação nem foco. PORÉM, eu tenho que dizer que A-DO-RO essa fotografia por ela ser simples: sem tratamento no PhotoShop, escolha de melhor ângulo ou qualquer coisa que possa interferir na verdade do momento.

Pra você que talvez não conheça esse rosto eu apresento: Eliana Marques, 21 anos de muito temperamento forte, explosões de alegria e tristeza, vontade de viver intensamente e..........bom, essa carinha aí! =)

Falar de alguém é sempre bem complicado, não sei se é possoal mas eu nunca acho que ficou suficiente bom, principalmente quando estou falando de alguém que tenho carinho. Como diz o velho clichê parece que "faltam palavras pra descrever".
A minha convivência com a Eli começou há 3 anos atrás, na verdade um pouco menos, acho que uns 2 anos e meio. Conheci essa figura na faculdade por uma outra amiga da turma, sabe como é né, ter cara de metida e jeito fechadão não facilitam muito as coisas pro meu lado! Mas a verdade é que eu nem sei mais como a gente ficou tão próximas.
A gente compartilha muitas coisas. Somos capazes de ficar horas conversando sobre os problemas do mundo, sobre filmes, músicas, homens (Beto, eu falo de você sabia?!), histórias malucas de nossos cachorros, assuntos bestas, sobre a angústia de estar sem estágio. Estranho que as vezes esses são nossos programas preferidos. Deve ser do signo...só pode ser!
Tenho medo de que nossa amizade seja como alguma daquelas amizades que a gente guarda desde criança na lembrança e que nos momentos de dificuldade a gente lembra com saudade e se pergunta: por que foi mesmo que nos afastamos?!
A Eli é singular, como eu e você e também seu vizinho. Além disso, posso dizer que acho ela super talentosa, embora ela não acredite nela mesma, ela sonha; ela quer; ela briga; ela vai conseguir!
Escolhi essa foto porque ela representa você amiga!
Com carinho.

quarta-feira, 2 de abril de 2008

A saída não é o fim! É um novo começo!



Será que eu estava fugindo?? Ou talvez, realmente, só estava me faltando tempo??
Devia ter postado algo interessante no dia do NOSSO NÍVER! Porém, por vários motivos não o fiz!
Mas como nunca é tarde, aqui estou!
Como a Bia já explicou muito bem, 1 ano se passou e muita coisa foi vista, sentida e vivida por nós. Basta olhar todas as fotos postadas.
Em especial, quero falar da primeira foto, postada pela Beatriz Yuki, no dia 31/03/07. Olhe a foto acima que eu explico melhor!
Essa foto é interessantíssima, pois caracteriza perfeitamente a idéia do blog. Além disso, eternizou um momento único, que só aconteceu lá, naquele instante. Agora tudo se alterou, assim como na vida. Nada é estático, as mudanças são constantes. As letras que faltavam já foram fixadas. Não vemos mais SAD, apenas SAÍDA! Sim, SAÍDA. Mas não apenas!

É como eu disse brincando: A saída nem sempre é o fim, ás vezes ela nos leva a outros patamares!

Eis que iniciaremos uma nova fase, num novo patamar, após termos seguido a seta SAD (nada triste!!), que agora é só mais uma SAÍDA!
Este não é um post depressivo, pelo contrário. Mas exige uma certa reflexão, afinal estamos sofrendo alterações, e ganhando maturidade (Estamos?!).
Tá, estou indo longe demais... É só um blog!!! Mas talvez seja muito mais!!!
Bom, vamos para festa?? Pensamos muito sobre como iriamos comemorar a data. Então, tivemos a idéia de nos fotografar (ou seja, eu fotografo a Bia, e ela me fotografa). Assim, vocês poderão conhecer um pouco mais de cada uma.
O resto é surpresa! Aguardem...




segunda-feira, 31 de março de 2008

UM ANO de Nem todo mundo viu!

Há exatamente UM ANO atrás, sob um sol escaldante do meio-dia e dentro de um ônibus, o Nem todo mundo viu foi pensado pela primeira vez!

No início era só uma idéia, um pensamento desses sem muita profundidade que temos quando estamos dentro de um coletivo com o olhar perdido em alguma coisa sem importância: “nossa quase bateu!”, “olha, aquela loja fechou”,ou “putz, vou chegar atrasada de novo”.

O nome do Nem todo mundo viu surgiu quando uma das fotógrafas olhou pela janela e viu, com a ajuda da altura do ônibus (uhul!!), um carro abarrotado de coisas. Era uma bagunça que eu nunca vi igual, com certeza aquela visão era o que minha avó chamava de pardieiro. Na hora o espírito jornalístico, a xeretice ou as duas razões juntas me fizeram pensar: “-Nossa, imagina que foto legal!”

Pronto! Nem todo mundo viu....aquilo que nós vimos.

Muitas coisas aconteceram depois disso: as cores mudaram, os assuntos variaram, a coragem de fotografar o que nem sempre pode ser fotografado, o olhar sobre as coisas, a vida, a rotina, a amizade, o número de acessos...mas, o que mudou mesmo foram as fotojornalistas. Elas viveram.

Ficamos muito felizes pelo número de acessos (3620) e também gostaríamos de dizer para vocês deixarem comentários à vontade! Pedimos também que se usarem nossas fotos em algum lugar, mesmo que seja apenas de papel de parede no seu computador, por favor nos avisem com um recadinho aqui no próprio blog. Para nós duas é um orgulho saber que tem gente quem gosta do nosso trabalho.

Parabéns Nem todo mundo viu!!!!!!!!!!!

domingo, 30 de março de 2008

FUGA!


Foto feita pela nossa querida amiga Juliana Carlos, durante a apresentação da peça de teatro FUGA! (Onde a exigência principal era "manter os celulares ligados". Foi isso que ela fez, e ainda tirou essa bela foto!)... Ótima peça hein, JU!?!

terça-feira, 25 de março de 2008

segunda-feira, 17 de março de 2008

Zimbo Trio - Quatro décadas...


Chega de Saudade
(Composição: Tom Jobim e Vinícius de Moraes)

Vai minha tristeza e diz a ela que sem ela
Não pode ser, diz-lhe numa prece
Que ela regresse, porque eu não posso
Mais sofrer. Chega de saudade a realidade
É que sem ela não há paz, não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

Mas se ela voltar, se ela voltar,
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei
Na sua boca, dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser, milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio de você viver sem mim.
Não quero mais esse negócio de você longe de mim...







Ps.1: Zimbo Trio é um lendário grupo paulistano, formado desde 1964 pelos amigos Rubinho Barsotti, Amilton Godoy e Luiz Chaves (substituído pelo baixista Itamar Collaço). Faz parte do movimento da Bossa Nova, e possui uma discografia de 49 títulos gravados. Já trabalharam com grandes intérpretes da música, como Elis Regina, Elizeth Cardoso e Jair Rodrigues.
Neste show que aconteceu nos dias 14, 15 e 16 de março, no Auditório Ibirapuera, eles se apresentaram com os grupos Soprando Notas e Quarteto de Sopro.


Ps.2: Um pouco mais de cultura não faz mal a niguém!

Ps.3: Créeeeu é bom, mas não dá nem pra comparar!Lógico... sem comentários!

quinta-feira, 6 de março de 2008

Reflexos - Espelho d'água


Ps. Sem querer essa foto é cheia de símbolos!
Observe a ponte... e a pessoa (q eu cortei...erro meu!) em cima dela!

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Mãe sofre!


Crédito da foto: Maria Isabel Gonçalves

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

A alavanca da fé: Muro das Lamentações

Por Felipe Giersztajn

Quem não sente um frio na barriga; um pulsar forte do coração, um suspiro exalado ou simplesmente solta um choro emocionado perante o Kotel Hamaariv (Muro das Lamentações)?
Por quê um conjunto de mármore, pedras e cimento de proporções mínimas pode provocar tanta comoção em turistas ou israelitas que se aproximam para ter seu momento de oração?
Para responder a estas e outras questões é necessário muito mais do que recorrer ao termo em enciclopédias, imagens da internet ou manchetes nos jornais, mas estar presente de corpo e alma ao coração de Jerusalém, centro da cidade velha em que o espírito religioso multiplica a fé das três principais civilizações de Israel: judeus, cristãos e muçulmanos.
Do ponto de vista histórico-religioso podemos afirmar que há lugares santos para os cristãos como a Cúpula do Rochedo e para os Muçulmanos como a mesquita de El-Akjsa, mas são as muralhas sagradas para os judeus que restaram da destruição do 1º e 2º templos por babilônios e romanos que explicam em boa parte o significado do local.
Mas quando se está de frente para o muro percebe-se a importância de cada fresta onde são colocados pedidos de ajuda, agradecimento ou mesmo um lamento, na sacralidade de cada passo no solo abençoado e na possibilidade de desenhar-se mentalmente um filme da própria vida e da influência que ela carrega perante o paredão dos murmúrios.
Como já foi dito, o muro tem uma relevância única para o povo judeu já que metaforiza por um lado a sobrevivência deste, perseguido e combativo desde os primórdios de sua existência; por outro prova que mesmo significando muito para esta religião pode perfeitamente unir todos os povos, credos, etnias, etc, em um só ideal: a fé como substância da vida.
ps: esse texo foi escrito por um amigo nosso e decidimos dar um espacinho pra ele aqui. Afinal, ele esteve lá apurando os fatos!!

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Ibisco


A natureza é incrível, não me canso de observar!

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Conto de Terror



É carnaval... não parece, eu sei... a foto mostra um momento que mistura medo, aventura e diversão!
Quatro garotas perdidas, duas sussas, duas assustadas... Isso significa crise! A balança tava meio a meio... Enquanto 2 aterrorizam, 2 tranquilizam...
Mas o fato é, o que estavam elas fazendo num lugar totalmente desconhecido?? Estavam perdidas?? Nem tanto... sabiam as direções, mas não o caminho exato!
O que buscavam? A BR 101! E pegar o último ônibus para Caraguatatuba. Queriam voltar pra casa, na praia das Toninhas em Ubatuba... depois de terem ido curtir o carnaval miado do centro, se soubessem teriam ficado na Praia Grande, lá sim a coisa tava boa!
Porém, chegar a BR 101 nunca foi tão complicado... e tão distante, quantos quilometros andaram, por quais ruas passaram, só Deus sabe! Ou melhor, Deus e Jaiminho... ele foi nosso guia (se foi mesmo até agora não sabemos...). Disse para seguirmos as placas!
Pergunta que não quer calar: Placa não foi feita pra carro??? Pessoa pode cortar caminho... talvez nem sempre, mas na maioria das vezes sim... né??
Enfim, seguimos as placas como os carros... uma carona ia bem! E Jaiminho nos seguia com sua bike... Ele era o guarda noturno da região, que por sinal era bem chique. Ali elas realmente se sentiram perdidas, a única solução era seguir Jaiminho e suas placas... Única saída! Era tarde... e o último ônibus já tava quase pra passar...
Aí Jaiminho diz:
- Agora vocês vão pra esquerda...
Ju diz:
- Mas a placa indica pra direita...
Ele diz:
- É, mas você não é carro!
(Tá, nem preciso comentar... que poderíamos ter cortado caminho logo que encontramos ele... Lá na rua do Hotel Giprita! Fomos carros por um momento... E depois ele ainda tira uma da nossa cara! Contraditório...)
O drama parecia no fim, afinal ali estava a BR 101... só faltava o ônibus passar... E parar no meio da estrada! Buscamos o ponto mais próximo, e não acreditamos onde estávamos, no PONTO CERTO ( um mercado beira de estrada) que ficava no meio do caminho entre o Centro e a praia das Toninhas (desculpa o exagero!), aí vimos que "quase" nem andamos... Pra terminar a história em clima de alegria, eu tiro uma foto nossa... Mil sorrisos!
ATÉ QUE...
Avistamos 2 caras estranhos, que nos observaram de longe e que resolveram nos seguir. Afinal, o que fazem 4 meninas turistas (máquina na mão) no ponto de uma estrada, com o relógio marcando 12:16... Vai dizer que não é pedir pra ser assaltada??É... e foi!
Porém, malandro de São Paulo é mais malandro que qualquer outro malandro! Então digamos que paulista tá mais acostumado a lidar com certas situações, e saca os momentos muito mais rápido, e age da mesma forma!
Corremos até o primeiro bar aberto, e esperamos eles seguirem pela estrada... O desespero das meninas era grande, mas não tinha solução... Esperar o ônibus dali e quando ele tivesse chegando, atravessariamos a rodovia correndo... E foi o que fizemos quando o ônibus chegou, e ele veio mais rápido do imaginamos. Não sei se isso foi bom ou ruim... porque os caras voltaram correndo pra pegar o mesmo ônibus, pois é... Nós e eles ali... E agora? Já era, quando descermos eles descem também... e tchau! Foi isso que pensamos...
Mas graças a Deus e a nossa sacada de mestre, fingimos descer na Praia Grande que estava como disse Bombando... Quem não acreditaria que era ali nossa parada, fomos até a porta, puxamos a cordinha... Eu tava na porta, ela abre... Eu olho pra Ju... Desce ou não desce??? Menos de 10 segundos, os 2 passam do meu lado e descem... Ufa, a gente não!! Demos um OLÉ legal neles...
Mas a dúvida ainda paira no ar... será que eles só tavam indo pra Praia Grande, e a gente inventou toda essa história de perseguição? Por via das dúvidas, foi melhor acreditar e confiar na intuição, pois no fim descemos no ponto de casa... só as 4, e aliviadas de tudo que nos aconteceu! Ou pelo que não aconteceu...

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Qual é a melhor lembrança da sua infância?

"Quem me compra um jardim com flores?
borboletas de muitas cores,
lavadeiras e passarinhos,
ovos verdes e azuis nos ninhos?

Quem me compra este caracol?

Quem me compra um raio de sol?

Um lagarto entre o muro e a hera,
uma estátua da Primavera?

Quem me compra este formigueiro?

E este sapo, que é jardineiro?

E a cigarra e a sua canção?

E o grilinho dentro do chão?" (Cecília Meireles)

sábado, 26 de janeiro de 2008

Em exposição no Conjunto Nacional - Avenida Paulista




Maquete feita com produtos recicláveis, identifiquei: plástico, jornal e latinha de alumínio.
FANTÁSTICA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Clique para ampliá-la...fica melhor!



"Tenha paciência com tudo aquilo não resolvido no seu coração e trate de amar a própria incógnita. A questão é viver tudo, viver a incógnita agora. Talvez, então, algum dia no futuro longínquo, sem nem sequer percebê-lo, você terá feito o percurso até a resposta." (Rainer Maria Rilke)

Foto tirada em trilha feita na região de Garopaba - SC

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Conto de Verão

Não sei nem o fim, nem o começo da estória! Só sei que foi em Dezembro!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Inesperado!!!

Sim, essa foto realmente é um retrato da realidade!!! Quem diria, em pleno verão...praia, férias, vida boa, e uma tragédia acontece de forma totalmente inesperada! Por acaso alguém já viu alguma vez um carrinho de milho "explodir" (pegar fogo)...
Foi do nada!
As pessoas que estavam em volta começaram a correr... abandonando tudo no local... Óbvio, o medo nos leva a fugir de situações de perigo. Porém, acredite se quiser... O "dono" do carrinho não queria abandoná-lo. Também, imagine que essa era a sua única forma de sustento... e foi tomado pela ação do fogo!!!!! Caso triste, bem no início da temporada... O cara provavelmente perdeu tudo que tinha pra sobreviver!
Não apurei, mas acho que algumas pessoas sofreram queimaduras, pois vi de longe os bombeiros cuidando delas no quiosque mais próximo.
Agora preciso abodar uma outra visão do acontecimento. A questão ética da minha futura profissão. Posso dizer que jornalista adora uma tragédia, e quanto maiores forem as proporções melhor é para a produção de notícia!
Eu me vi correndo até a cena pra tirar foto, mas na hora nem pensei em ligar para os bombeiros, pra ser sincera, cheguei a pensar que seria interessante ver o carrinho explodir pelos ares... fotografar então, nem se fale...
Exageros devem ser deixados de lado!!! Mas o fato é, acho que isso é coisa de jornalista, e explico, para um jornalista a lógica é a seguinte: não é interessante ver o carrinho em cinzas se eu posso ver em chamas! Então, não ligaria mesmo para os bombeiros... Cadê a ética nisso tudo????????
Pois é, não fiz isso de caso pensado... mas acabei sendo antiética sem perceber!
Tá certo, tinham milhares de outras pessoas capazes de telefonar para os bombeiros... mas o pior é pensar que isso nem passou pela minha cabeça... pelo contrário, queria ver mais!!! TERRÍVEL HEIN!
Na próxima, talvez, eu aja de outra forma! Ou não... será que jornalista é mesmo um bicho ruim?!?!Tá no sangue, na alma da notícia?!?!